SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Sebrae é destaque na Feira Universitária de Empreendedorismo

Sebrae é destaque na Feira Universitária de Empreendedorismo


Evento mobilizou estudantes e empreendedores de Carutapera durante duas semanas
O Sebrae participou ativamente da Feira Universitária do Empreendedor, realizada em Carutapera por alunos do curso Processos Gerencias, da Faculdade Evangélica do Meio Norte, que mobilizou acadêmicos e empreendedores de vários setores durante duas semanas e foi encerrada no último sábado, 22, com uma exposição na praça central da cidade.
O Sebrae esteve presente no evento com a realização de palestras motivacionais e oficinas sobre Atendimento ao Cliente, Segurança no Trabalho, Comunicação Empresarial e Empreendedorismo, além de contar com um estande no encerramento da programação, onde os analistas puderam orientar os visitantes sobre temas empresariais.
A exposição no largo da Igreja Matriz reuniu uma variedade de produtos, dentre roupas, cosméticos, bijuterias, artesanato e comidas típicas do Maranhão e Pará, com destaque para a programação cultural, que contou com a participação de corais e músicos locais. 
Para a equipe do Sebrae, que esteve presente durante todo o evento, a iniciativa dos universitários foi muito oportuna, por movimentar a classe empresarial, proporcionando a troca de conhecimento e levantando discussões importantes para quem pretende desenvolver alguma atividade comercial.
Carutapera é um dos municípios atendidos pela regional do Sebrae em Santa Inês, onde desenvolve ações durante todo o ano, atendendo a demandas identificadas pela Sala do Empreendedor, além de parcerias diversas.
O analista do Sebrae Adalberto Fraga, que acompanhou as atividades da 2ª Feira Universitária do Empreendedor de Carutapera, destaca que o sucesso do evento superou as expectativas. “Observamos um elevado número de visitantes, de expositores e de patrocinadores”, assinalou Fraga. “O sucesso é atribuído à Faculdade Evangélica Meio Norte, através do coordenador da Turma de Processo Gerencias, Jorge Silva, que contou com o apoio irrestrito dos alunos”, avaliou o representante do Sebrae.
O professor Jorge Silva, em nome da Faculdade, agradeceu à parceria do Sebrae. “O sucesso da Feira devemos ao empenho dos nossos alunos e o apoio que o Sebrae nos deu, desde o momento que idealizamos o evento, até a disponibilização de profissionais para as oficinas”, lembrou o coordenador do evento. 


Gilciléa Marques
Unidade de Marketing e Comunicação
Regional do SEBRAE em Santa Inês - Ma
Contatos: (98) 8237-3242
Sebrae – Santa Inês -MA (98) 3653 2461

Situação das escolas em Pinheiro preocupa SINPROESEMM


Transferências, reformas e  fechamentos de escolas estão incomodando alunos e professores da rede de ensino pública em Pinheiro. Os dirigentes do Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Maranhão (SINPROESEMMA) denunciam, desde 2012, as ações dos gestores que estão comprometendo a oferta da educação pública de qualidade.

Entre os gargalos elencados pelo SINPROESEMMA, está a suspensão das atividades no CAIC de Pinheiro, que atendia a 500 adolescentes na região. Segundo os professores, as salas de aulas foram transformadas em ambientes burocráticos, atendendo somente a interesses de secretarias e órgãos públicos. Outra perda significativa na educação pública foi o fechamento da escola Odorico Mendes, onde funcionará um polo da Universidade Estadual do Maranhão.

Porém a maior revolta da população está no fechamento da Unidade Escolar Elizaberto Carvalho, instituição que, segundo documentos históricos, funcionava desde 1938 e foi responsável por educar gerações. A prefeitura decidiu encerra as atividades na escola para construir o camelódromo municipal, espécie de centro comercial. “Os gestores estão acabando com a educação e destruindo a história da cidade’, afirma a coordenadora do Sinproesemma, Leonízia Neta Rodrigues.

SUPERLOTAÇÃO – Com o fechamento das escolas e consequentemente redução das vagas no ensino público houve a superlotação das unidades de ensino, o que dificulta ainda mais o processo de ensino aprendizado. Segundo Leonízia, os alunos do EJA e de povoados distantes foram os mais afetados, pois encontram dificuldades de deslocamento durante à noite.

O Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública tentou judicializar os problemas educação pública em 2012 para frear o fechamento de escolas à época, porém o processo não prosperou e está engavetado no Ministério Público Estadual.

Vereadora tira a calcinha em protesto durante a Sessão

Vereadora tira a calcinha em protesto durante a Sessão

A vereadora Lucimara Passos usou a tribuna da Câmara, na última terça (25), para fazer um discurso inusitado de crítica ao colega Agamenon Sobral (PP), durante o qual o chamou de “criminoso” e o desafiou a lhe dar “uma surra”.
Durante o discurso, a vereadora comunista é de Aracaju tirou uma calcinha do bolso, mostrou aos colegas e disse que estava sem a peça íntima em protesto contra o vereador Agamenon – que na semana passada teria chamado de vagabunda uma mulher que quis se casar sem calcinha e teria dito que ela merecia “uma surra”.
“Hoje vim com um vestido mais curto. Também trouxe a minha calcinha no bolso. Alguém pode me chamar de vagabunda? Alguém pode dizer que tenho de ser surrada?”, questionou, para silêncio da casa.
E questionou os parlamentares: “Os senhores não podem me julgar, nem julgar uma mulher pela roupa que ela veste, em função da calcinha que usa ou se não usa. Isso não define o meu caráter. Será que vão me dar uma surra quando eu descer daqui?”.
A vereadora pediu punição ao colega que fez o pronunciamento. “Esse vereador já cometeu aqui vários crimes. Antes de chamar a mulher de vagabunda, dizer que merecia uma surra, disse que ia começar a andar armado, que a população tinha de se armar, que tinha de pendurar bandido de cabeça para baixo. E essa Casa não fez nada para puni-lo; tornou-se conivente com esse vereador; não disse a ele que ele não pode proceder dessa maneira”, afirmou.
O discurso da vereadora fez alusão ao dia 25 de novembro, quando é celebrado o Dia Internacional de Combate à Violência contra a Mulher. “Infelizmente, ainda nos deparamos com certo tipo de comportamento desprezível, abominável, que ainda enxerga a mulher como propriedade do homem. Esse é um dos maiores fatores da violência. Enquanto o homem não se libertar desse sentimento, as mulheres serão vítimas”, disse.
Em entrevista a veículos de comunicações de Aracaju, o vereador disse que a vereadora estava querendo “aparecer” e pediu para ser investigado. “É direito do vereador contestar. Sobre a Comissão de Ética, quero que seja efetivada porque já cansei de provar várias vezes sobre tudo o que trato aqui. Não tenho medo. A vereadora pode vir para tribuna de calcinha ou sem, como quiser, o problema é dela.

Médicos apresentam condições do sistema de saúde do estado

Médicos apresentam condições do sistema de saúde do estado

sexta-feira 28/11
Flávio Dino defendeu na manhã desta sexta-feira (28), durante o I Encontro com Médicos do Maranhão, o diálogo como metodologia de governo a ser adotada pela próxima gestão do estado. “Esse não é apenas um compromisso de campanha, por isso estamos aqui para dialogar, ouvir as demandas e propostas para solucionar problemas. Precisamos mover a sociedade na direção correta, com ações sintonizadas com os anseios da população”, disse o governador eleito à classe médica.
Com a participação dos deputados federais Carlos Brandão – eleito vice-governador – e Pinto da Itamaraty e do estadual Marcelo Tavares, o evento reuniu profissionais de cerca de 40 especialidades médicas para o debate sobre as condições do sistema público de saúde no estado. Durante as falas, o diagnóstico das unidades, o problema da falta de oferta de serviços no interior do estado, a necessidade de treinamento continuado para os profissionais de saúde e o diálogo com outras áreas de prestação de serviços públicos à comunidade.

Indicado para assumir a secretaria de Saúde a partir de 1º de janeiro, Marcos Pacheco enfatizou a importância do engajamento dos profissionais na busca da resolutividade para os problemas que existem na área. Sobre a questão dos contratos, descartou o não cumprimento de compromissos assumidos pela atual gestão. Entretanto, afirmou que serão revistos como forma de garantir a probidade e eficiência nas despesas públicas do setor. Além disso, admitiu que vai firmar ações em parceria com os municípios, atuará na valorização dos profissionais de saúde, na atenção à infraestrutura e retomada do pleno compromisso do Maranhão com as normas do SUS.
O presidente da Associação Médica do Maranhão, Mauro César Oliveira, destacou a expectativa que os médicos assumem com a próxima gestão. A disposição em dialogar foi um dos pontos positivos destacados. “Essa é uma manifestação de que será uma gestão eficiente. Ele está retornando o diálogo com as categorias da saúde e isso demostra um grande interesse em solucionar problemas e reivindicações da assistência à saúde”, disse.
Para Abdon Murad, presidente do Conselho Regional de Medicina do Maranhão, o diálogo na formulação de medidas para resolver os impasses da saúde é um ato histórico de um governador eleito no estado. “Importante trazer as entidades médicas para falar o que a classe pensa da saúde desse estado. Flávio e Marcos não estão trancados em gabinete, eles estão vindo buscar aqui as deficiências da saúde pública das especialidades e os possíveis caminhos para serem executados”, reiterou.
Representando a categoria, Adolfo Paraíso, presidente do Sindicato dos Médicos, elogiou a indicação do médico Marcos Pacheco para assumir a Secretaria de Saúde. “Ele tem o aval das entidades médicas. Começando dessa forma, mantendo o diálogo e construindo junto as propostas para implantar no serviço público de saúde é um bom começo”, afirmou.
Esta foi a terceira reunião de Flávio Dino com a classe médica. Ainda durante a campanha, participou do evento Diálogos com Médicos e também de uma reunião com profissionais da área no Conselho Regional de Medicina. Nas duas ocasiões, afirmou que após eleito governador do estado, participaria de um encontro para discutir a realidade da saúde pública, ouvir as sugestões dos profissionais para resolução dos problemas e consequente melhoria do atendimento à população

O governador eleito Flávio Dino afirmou que adotará um novo caminho para a gestão do Estado

Flávio Dino defende tratamento igualitário e gestão transparente


O governador eleito Flávio Dino afirmou que adotará um novo caminho para a gestão do Estado durante encontro com prefeitos e prefeitas de municípios maranhenses, com diálogo, parcerias e transparência. Na ocasião, ele também apresentou todos a equipe de governo que atuará a partir de 1º de janeiro, entre secretários, presidentes e diretores de órgãos da administração estadual.
Defendendo uma postura de tratamento igualitário e transparente, Flávio Dino afirmou que governará olhando para o futuro e pensando na melhoria da qualidade de vida da população do estado. “Não importa o ontem, não importa em quem o prefeito ou a prefeita votou ou apoiou. Não vamos discriminar município pela posição política do prefeito. Nós separamos a política da ação administrativa. Vocês não estarão sozinhos, prefeito será autoridade no nosso governo”, afirmou Dino.
Ainda em discurso, o governador eleito afirmou que espera uma parceria baseada na verdade, transparência e lealdade com as lideranças políticas dos municípios e conclamou a todos para o trabalho pelo desenvolvimento do estado. “Alavancar o desenvolvimento do Maranhão, melhorar os indicadores sociais do nosso estado, que são nossos objetivos, não podem ser desenvolvidos apenas pelo governo, mas em parceria com os prefeitos. E é isso que vamos propor: um grande pacto a favor do Maranhão, independentemente da posição política de cada um”, disse.
Flávio Dino relembrou que construiu seu Programa de Governo através de conversas com a população de todas as regiões do estado nos Diálogos pelo Maranhão. No primeiro evento com prefeitos e prefeitas de municípios maranhenses, ele destacou que esse é novo modelo de governar que será adotado no estado, baseado no diálogo, no amplo acesso aos líderes municipalistas.
O prefeito de São José de Ribamar e presidente da Federação dos Municípios do Estado do Maranhão (Famem), Gil Cutrim, destacou as dificuldades enfrentadas pelos gestores municipais no desenvolvimento de ações nas cidades. Entre os pontos citados, a falta de diálogo com o governo do Estado, a burocratização para firmar convênios e parcerias, a ausência de investimento na saúde, segurança pública, educação, além do repasse de responsabilidade de custeio de serviços estaduais para os municípios.
“Defendemos o ‘Partido Municipalista Maranhense’ para que os prefeitos ergam em favor do estado. A maioria dos prefeitos está com dificuldade porque só receberam de 5% a 30% dos recursos de convênios. A esperança é de mudança da realidade para botar esperança na população e nos prefeitos em dias melhores”, acrescentou.
Edivaldo Júnior, prefeito de São Luís e presidente de honra da Famem, disse acreditar no novo momento que o estado viverá a partir de 1º de janeiro, exemplificado pela disposição de diálogo apresentada pelo governador eleito Flávio Dino. “Tenho certeza que o Flávio fará dos municípios um dos principais parceiros para a grande tarefa para fazer aquilo que os maranhenses tanto almejam, construir um estado de oportunidade para todos, um estado capaz de utilizar suas potencialidades para melhorar a vida das pessoas que mais precisam”, acredita.
Destacando a trajetória de Flávio durante a campanha, baseada no diálogo e na honestidade, o prefeito de Imperatriz, segunda maior cidade do estado, Sebastião Madeira, falou da expectativa e esperança que o Maranhão possui no novo governo. “Precisamos do pacto com o governo do estado e o governo federal para juntos desenvolvermos ações em conjunto. Os problemas são muitos e não podemos admitir o estado possuir municípios com 0,5 de IDH”, ponderou.
_MG_9187
 CONTINUIDADE DE OBRAS
Sobre a continuidade de obras em andamento, Flávio Dino afirmou que priorizará as ações em desenvolvimento nos municípios do estado. A próxima gestão ainda não tem conhecimento da totalidade das obras. As informações ainda não foram repassadas pela equipe de transição da atual gestão estadual.
“Isso dificulta até que possamos mensurar quais são os convênios que estão em andamento, quais foram concluídos, os que faltam pagar. Nós vamos a partir desse diagnóstico chamar prefeito por prefeito, de todos os 217 municípios, e propor a continuidade. Não haverá uma orientação de que convênio da gestão passada não é nosso. Nós queremos que as obras sejam entregues ao povo”, garantiu.
 ENCONTRO COM PARLAMENTARES
Ainda nesta quinta-feira (27), Flávio Dino reuniu-se com deputados estaduais e federais da atual legislatura e da que se inicia em 2015. Também com foco no diálogo, o governador eleito conclamou a participação de todos no desenvolvimento de ações que beneficiem a vida dos sete milhões de maranhenses.
Ao lado do ex-prefeito de Caxias, eleito deputado estadual, Humberto Coutinho (PDT), Flávio Dino externou a disposição de promover parcerias na elaboração e acompanhamento para execução de ações em todas as regiões do estado.

SANTA HELENA NO CAMINHO CERTO

SANTA HELENA NO CAMINHO CERTO


O prefeito de Santa Helena, Lobato, dá um exemplo de gestão a todos os prefeitos da região da baixada ou até mesmo do Maranhão, mostrando que uma boa administração não que dizer necessariamente só execução de obras, mais principalmente com a valorização do munícipes em especial aqueles mais necessitados. E é isto que o prefeito Lobato vem fazendo no município de Santa Helena, em parceria com o INAPEM e o programa de assistência Técnica Rural, uma parceria muito bem sucedida, onde o INAPEM em Santa Helena atua na zona rural através do serviços de assistência prestados pelos técnicos agrícolas aos agricultores beneficiados e ai entra a parceria da prefeitura de Santa Helena, onde o prefeito da apoio total ao programa através da Secretária Municipal de Agricultura.
E nessa parceria de sucesso foi realizado a I Feira dos Produtores Rurais da Agricultura Familiar Santa Helena, onde os agricultores trouxeram para venda suas produções e muita produção e diversificada, onde já ficou marcado a II Feira dos Produtores Rurais da Agricultura Familiar de Santa Helena para o dia 20 de dezembro de 2014.
Termino parabenizando o Prefeito Lobato, o INAPEM e em especial os agricultores familiares assistidos que são as personagens principais desta feira de sucesso, e nos mostram que a região da baixada pode crescer e ser sustentável. PARABÉNS!



Parlamentares já querem aumentar seus próprios salários em Janeiro de 2015

A partir de Janeiro de 2015, parlamentares vão propor a elevação dos seus próprios salários, além, claro, dos vencimentos da presidente Dilma Rousseff, do seu vice, Michel Temer, e de mais 39 ministros.
A previsão do reajuste é de R$ 26.723 para R$ 33.769. O aumento tem como base o acumulado dos últimos quatro anos do índice oficial de inflação (IPCA), que segundo os técnicos, é de 26,33%. O último aumento dado aos congressistas e integrantes do Governo federal foi em dezembro de 2010.
Os deputados, além dos salários, têm direito a apartamento funcional ou auxílio-moradia no valor de R$ 3.800 e verba indenizatória de até R$ 41 mil para deputados e R$ 44,2 mil para senadores.
O presidente da Câmara, Henrique Eduardo Alves (PMDB-RN), admite e defende a elaboração do projeto.
"Tem que ter o aumento. Em toda a legislatura que se encerra, você tem que aprovar o aumento para o próximo ano. Isso é constitucional. O último aumento foi há quatro anos."
O artigo da Constituição citado por Alves é o 49, que trata das competências do Congresso. O texto prevê a fixação de subsídios idênticos para deputados federais, senadores, presidente e vice-presidente da República.
No entanto, não há obrigatoriedade de se fazer reajustes no fim de cada legislatura.
Efeitos
Um novo projeto de decreto legislativo com a previsão do reajuste deve ser colocado em pauta nos próximos dias. Se aprovado, poderá ter efeito cascata nos Legislativos de todo o País, uma vez que a Constituição prevê que os deputados estaduais podem receber até 75% do recebido pelos federais.
"Estou apenas esperando a costura com o Executivo e com o Judiciário para fazer em conjunto a votação. Quero fazer uma coisa combinada", disse Alves. Além da Câmara, a proposta precisa passar pelo Senado.
A pressa dos congressistas se deve ao fato de que o reajuste precisa ser inserido no projeto de Lei Orçamentária de 2015, que deverá ser votado antes do recesso, marcado para 22 de dezembro.
O impacto estimado aos cofres públicos só com o aumento para os deputados é de R$ 82 milhões em 2015. Nos dois anos subsequentes, o valor é de R$ 78 milhões.
A diferença ocorre porque os 513 deputados federais têm direito no primeiro ano ao chamado 14.º e 15.º salários, usados como "benefício" para a mudança para a capital federal.
Para concretizar o aumento, os parlamentares terão antes de aprovar um aumento para os ministros do Supremo Tribunal Federal, valor que define o teto constitucional dos salários dos servidores, hoje fixado em R$ 29,4 mil. Um projeto do Judiciário em tramitação prevê elevação para R$ 35.9 mil.

Flávio Dino defende igualdade e parcerias com prefeitos

O governador eleito Flávio Dino afirmou, em um encontro para prefeitos realizado na manhã desta quinta-feira (27), que adotará um novo caminho para a gestão do Estado com diálogo, parcerias e transparência. Na ocasião, ele também apresentou todos a equipe de governo que atuará a partir de 1º de janeiro, entre secretários, presidentes e diretores de órgãos da administração estadual.

Defendendo uma postura de tratamento igualitário e transparente, Flávio Dino afirmou que governará olhando para o futuro e pensando na melhoria da qualidade de vida da população do estado. “Não importa o ontem, não importa em quem o prefeito ou a prefeita votou ou apoiou. Não vamos discriminar município pela posição política do prefeito. Nós separamos a política da ação administrativa. Vocês não estarão sozinhos, prefeito será autoridade no nosso governo”, afirmou Dino.

Ainda em discurso, o governador eleito afirmou que espera uma parceria baseada na verdade, transparência e lealdade com as lideranças políticas dos municípios e conclamou a todos para o trabalho pelo desenvolvimento do estado. “Alavancar o desenvolvimento do Maranhão, melhorar os indicadores sociais do nosso estado, que são nossos objetivos, não podem ser desenvolvidos apenas pelo governo, mas em parceria com os prefeitos. E é isso que vamos propor: um grande pacto a favor do Maranhão, independentemente da posição política de cada um”, disse.

Flávio Dino relembrou que construiu seu Programa de Governo através de conversas com a população de todas as regiões do estado nos Diálogos pelo Maranhão. No primeiro evento com prefeitos e prefeitas de municípios maranhenses, ele destacou que esse é novo modelo de governar que será adotado no estado, baseado no diálogo, no amplo acesso aos líderes municipalistas.

Flávio Dino manda recado para donos de construtoras

Flávio Dino manda recado para donos de construtoras

Que não seja da boca para fora. O governador eleito, Flávio Dino tem usado seu perfil no Twitter não só para anunciar sua equipe de governo, mas, também tem se utilizado para mandar recados de como será sua gestão.

O último desses recados fora para os donos de construtoras que são acostumados ganharem dinheiro fácil do poder público. Para estes acostumados realizarem serviços mal executados, Flávio Dino foi curto e grosso.

“Um alerta às empresas contratadas pelo governo: vamos buscar ressarcimento em casos de obras mal executadas, por pressa ou outras razões", disse Flávio Dino.

MP e PF investigam suspeitas de fraudes em carteiras de pescador

MP e PF investigam suspeitas de fraudes em carteiras de pescador

O Jornal Nacional desta terça-feira (25) apresentou reportagem onde foi confirmado que o Ministério Público e a Polícia Federal estão investigando suspeitas de fraudes em emissão de carteiras de pescador.
Para variar, o Maranhão acabou novamente sendo o principal alvo da reportagem. De acordo com a matéria, foram emitidas no Estado mais carteiras nos três meses antes da eleição (agosto, setembro e outubro), do que nos primeiros sete meses.
Segundo a reportagem, a suposta fraude seria para beneficiar candidatos do PRB, afinal é a legenda que comanda o Ministério da Pesca no Governo Federal. A Polícia Federal já abriu 14 inquéritos no Maranhão e também apura denúncias no Acre.
O PRB afirmou que a denuncia se trata de perseguição política. No Maranhão, o PRB elegeu quatro deputados, os irmãos Cléber Verde e Júnior Verde, Glalbert Cutrim e Ana do Gás. Cléber Verde se reelegeu a deputado federal, os demais se elegeram, pela primeira vez, deputados estaduais.

Prefeitura de Santa Inês beneficia alunos e idosos através do Programa Olhar Brasil

Prefeitura de Santa Inês beneficia alunos e idosos através do Programa Olhar Brasil

Mais uma conquista da Administração Ribamar Alves está beneficiando a população do Município de Santa Inês. Trata-se do Projeto Olhar Brasil, um programa do Governo Federal ao qual a Prefeitura de Santa Inês aderiu e agora está atendendo alunos e idosos.
IMG_4553
Estão sendo atendidos os alunos inscritos no Programa Saúde na Escola (PSE), voltado para a rede municipal de ensino, e os idosos/alfabetizandos do Programa Brasil Alfabetizado (PBA).
O Projeto Olhar Brasil foi elaborado de forma conjunta pelo Ministério da Saúde e pelo Ministério da Educação. Propõe-se a atuar na identificação e na correção de problemas de visão em alunos matriculados na rede pública de ensino da Educação Básica, priorizando, inicialmente, o atendimento ao Ensino Fundamental (1ª a 8ª série/1º ao 9º ano), em alfabetizandos cadastrados no “Programa Brasil Alfabetizado”, participantes do programa Mulheres Mil e na população com idade igual ou acima de 60 anos.
A implementação desse projeto visa reduzir nas taxas de evasão escolar decorrente de dificuldades visuais, facilitar o acesso à diversidade de contextos sociais e, também, garantir melhoria na qualidade de vida destes cidadãos.
O PROGRAMA EM SANTA INÊS
De acordo com Terezinha Helen, coordenadora do Programa Saúde na Escola (PSE) em Santa Inês, a parceria do Projeto Olhar Brasil com a Secretaria Municipal de Educação atende os alunos das 30 escolas cadastradas pela Prefeitura. Terezinha diz que todas as crianças da rede de ensino estão sendo avaliadas e as que apresentarem algum problema de visão são atendidas pelo Projeto, que além da consulta fornece também os óculos, caso haja necessidade.
Também graças ao empenho das parcerias Saúde/Educação da Prefeitura de Santa Inês, o Projeto Olhar Brasil está atendendo os 450 idosos/alfabetizandos das 15 turmas do Programa Brasil Alfabetizado (PBA), que em Santa Inês é coordenado pela educadora Rode Torres Lima, com auxílio técnico de Edna Márcia Pinheiro. Elas explicam que todos os idosos estão passando por avaliação oftalmológica

Turilândia: Por falta de merenda escolar, crianças voltam pra casa mais cedo

Mais um fato lamentável registrado na administração desastrosa do prefeito Alberto Magno, em Turilândia. Desta vez, crianças da rede municipal de ensino estão sendo liberadas da Escola mais cedo, por falta de merenda escolar.

Vale ressaltar que no site do Fundo Nacional de Desenvolvimento da Educação (FNDE),consta um repasse no ano de 2014, de mais de meio milhão de reais para a cidade de Turilândia. Ao todo, foram 524 mil reais destinados à Educação do Município. Recurso este que não chegou as Escolas da cidade. Enquanto isso, as crianças de Turilândia se prejudicam nos estudos, além de passar fome durante as aulas. Um verdadeiro absurdo!

Empreendedores de Pinheiro participam de curso de Atendimento ao Cliente do Sebrae

Empreendedores de Pinheiro participam de curso de Atendimento ao Cliente do Sebrae




Ação integra o projeto de Atendimento Territorial do Sebrae em Pinheiro
O Sebrae está realizando, durante toda esta semana na cidade de Pinheiro, o curso “Atendimento ao Cliente – obtendo resultados por meio da satisfação”, que conta com a participação de 25  empresários,  gestores de pequenos negócios, estudantes e colaboradores de empresas locais.
A capacitação busca identificar os aspectos que contribuem para a satisfação do cliente, além de refletir criticamente sobre as ações e procedimentos de atendimento da empresa, incentivando-os a planejar ações que garantam a satisfação dos clientes e possam gerar um impacto positivo nos resultados.
A consultora do Sebrae Maria de Pádua, especializada em treinamentos empresariais e consultoria organizacional, ministra o treinamento com a abordagem de temas como "tratar bem ou atender bem?”; "superar as expectativas dos clientes”, "como agir em situações de adversidade?”; dentre outros.
Para a participante Antônia Cristina Garcia, colaboradora de uma empresa de materiais de construção em Pinheiro, a expectativa criada pela capacitação gira em torno de conhecer novas técnicas de atendimento e aplicá-las na empresa que trabalha.
Esta atividade faz parte de uma vasta programação desenvolvida pela unidade regional do Sebrae em Pinheiro, através do projeto Atendimento Territorial na Baixada Ocidental Maranhense.
 
Vanda Pereira
Unidade de Marketing e Comunicação
Regional do SEBRAE em Pinheiro - Ma
Contatos: (98) 8118 0106
Sebrae - Pinheiro-Ma- (98) 3381- 2711

Uma grande colaboração que o grupo Sarney presta ao Maranhão é fazer oposição', diz Flávio Dino

Uma grande colaboração que o grupo Sarney presta ao Maranhão é fazer oposição', diz Flávio DinoFlávio Dino, em entrevista exclusiva para o Imparcial, comenta sobre como será sua gestão que começa a partir de 2015

O governador eleito Flávio Dino ainda não tomou posse, mas já iniciou uma frenética rotina de trabalho. Planeja o próximo governo orientando e escolhendo secretários, estudando informações repassadas pelo atual governo e tomando decisões. Em conversa com a reportagem de O Imparcial, falou de tudo um pouco. Criticou o atual governo, que, segundo ele, não colabora com a equipe de transição, elogiou os secretários que escolheu e mandou um recado para o grupo Sarney. “Acho que uma grande colaboração que o grupo Sarney presta ao Maranhão é fazer a oposição. Eles ficarão na oposição, acho que isso é bom pra eles e é bom para o estado”. A transparência, segundo ele, será a bandeira do governo e a mobilidade urbana será o ponto de maior atenção em São Luís.

O Imparcial - A sua vitória, após disputar e perder duas eleições, provou que o senhor é um homem determinado a perseguir seus sonhos e objetivos. Quando, ao longo de sua vida, decidiu que queria ser governador do Maranhão e por quê?


Flávio Dino - Quando alguém resolve jogar futebol, é claro que o sonho dele é jogar na Seleção Brasileira. Ele pode alcançar isso em mais ou menos velocidade, pode alcançar e não alcançar, pode ser feliz alcançando como pode ser feliz não alcançando, mas ele tem esse objetivo, todo jogador de futebol um dia sonha, idealiza isso. Eu me sinto como se estivesse jogando na Seleção Brasileira. Me sinto exatamente no ápice da minha carreira política, da minha trajetória pública, de modo geral, profissional, por que realmente é uma função de enorme responsabilidade governar um estado de sete milhões de pessoas. Governar nesta conjuntura histórica em que nós estamos fazendo uma virada de página, pondo para trás um ciclo histórico e nos comprometendo a exatamente fundar um modelo político diferenciado, mais produtivo, mais justo para o Maranhão e isso me dá de um lado esse sentimento de responsabilidade. Do outro, uma natural alegria pela honra. Mas jamais a vaidade que cega.

Jamais a vaidade que afasta, a vaidade que faz com que a pessoa só ouça aquilo que quer ouvir. Eu tenho por uma série de razões, pela trajetória profissional, por revezes políticos, profissionais e pessoais, tenho comigo uma vacina que todo dia eu aplico contra a mosca azul do poder. Isso é uma garantia que eu dou a todos os maranhenses.

O senhor falou em revezes. Em algum momento esses revezes foram duros demais a ponto de pensar em desistir da carreira política?

Sim, claro. Sobretudo os revezes no campo pessoal. Perder um filho do modo como eu perdi faz com que você pense em desistir não só de uma carreira, você, durante semanas, meses, você desiste de tudo praticamente. Então eu enfrentei isso e enfrento. Continuo a enfrentar porque esse é um fato tão duro que ele não tem passado, ele só tem presente. Continuamos a celebrar a vida dele e a nossa vida, procuramos colocá-la em um plano mais elevado, de ser uma vida a serviço de outras vidas, então essa é uma das razões pelas quais eu posso dizer que eu sou vacinado contra a mosca azul do poder, porque esses enfeites e adereços que cercam o exercício de determinados cargos acabam sendo pequenos diante do que realmente importa.

Com a sua eleição, temos um fato inédito. Governo e Prefeitura de São Luís em lados iguais. Enfim, o eleitor da capital poderá ver os dois palácios trabalhando unidos em prol da cidade?

Primeiro, é importante sublinhar que eu vou manter uma boa relação de trabalho com todos os 217 prefeitos. Portanto, aqueles que me apoiaram e aqueles que não me apoiaram, todos serão democraticamente recebidos e, tendo bons projetos, bons propósitos, nós vamos apoiar. No caso particular de São Luís, evidentemente, há uma singularidade, que é a capital de todos os maranhenses. Por isso mesmo, nós vamos estreitar ainda mais os laços políticos que nós temos com o prefeito Edivaldo. Nós temos identidade política. Eu apoiei a eleição dele, ele apoiou a minha. Mas nós precisamos agora traduzir isso em ações administrativas. Eu assumi um compromisso e aqui reitero que o primeiro convênio que assinarei como governador do estado será com a Prefeitura de São Luís, exatamente para sinalizar esse compromisso com a Ilha, com a capital de todo o estado e confirmar que essa parceria política terá traduções bem concretas na vida dos cidadãos.

E qual a maior preocupação do seu governo em relação a São Luís?

Mobilidade urbana. Esse é o tema que vamos atuar muito fortemente. Anunciamos já a criação da Empresa Estadual de Transportes Urbanos, cujo foco prioritário de atuação vai ser a Grande Ilha, os quatro municípios da ilha, onde a concentração de 1,3 milhão de maranhenses faz com que essa questão seja cada vez mais aguda. Eu elegeria este terreno como aquele que nós vamos atuar com mais força, com mais intensidade e com mais velocidade.

Durante a campanha, o senhor frisou que tomará as rédeas do estado, que exercerá um comando único e será dono de muitas decisões. O seu perfil será centralizador?

É um perfil muito presente. Jamais centralizador. Porque seria um equívoco. Mas nós precisamos ter uma diretriz política única, um comando único. Porque a sociedade espera um conjunto de ações diferenciadas que conduzam a um mesmo objetivo: governar bem o estado, com probidade, honestidade e com a capacidade de realizar coisas concretas em favor dessa população que tem tanta esperança. 



Mais da metade da equipe de governo já foi escolhida. Já estão todos trabalhando?

Nós já preenchemos 90% dos cargos de primeiro escalão e a presidência dos órgãos. Faltam duas ou três secretarias apenas. Todos já estão trabalhando e eu tenho feito uma sequência de reuniões individualizadas, ouvindo as primeiras impressões deles sobre as secretarias e já modulando um pouco as prioridades. Porque um bom planejamento tem que começar bem e para começar bem tem que começar com um rumo. Eu estou fazendo essa conversa individualizada para apontar quais são as prioridades constantes no programa de governo que foi escolhido pela população, no dia 5 de outubro, e aquelas que eu ouvi e aprendi e apreendi ao longo da campanha. Eu acredito que eu devo sempre socializar, dividir, partilhar aquilo que eu vi.

Falando da transição. O atual governo tem colaborado de forma satisfatória com a equipe de transição?

Na verdade, a colaboração é muito escassa e muito assimétrica. Exatamente pela ausência de um comando único e claro, de uma regulação, inclusive legal, sobre essa questão da transição. Há secretários da equipe atual que estão colaborando muito, realmente prestam as informações, franqueiam acesso aos dados. E há o contrário. Há secretários que, infelizmente, imaginam que prestar informações à nova equipe seria uma espécie de favor. E não é. É claro que é uma cortesia que nós agradecemos. Mas não é um favor, porque é uma obrigação. Na medida que quem escolheu uma nova equipe não fui eu. Foi a população que escolheu.

A governadora disse que entregará o estado equilibrado e com muito dinheiro em caixa...

Ela diz. Vamos esperar até o final do ano, ver as dívidas que eles vão deixar. Por exemplo, nós temos uma preocupação com os precatórios. Eles pagarão os precatórios? Nós temos até o dia 31 de dezembro pra pagar. Então, há determinadas situações fiscais que só estarão mais claras pra nós em janeiro, que exatamente a execução orçamentária vai até o dia 31 de dezembro. Então, há muitos pontos de interrogação. Convênios que eles fizeram, muitos convênios, para tentar, inclusive, vencer a eleição. Eles pagarão esses convênios? Você não sabe, eu não sei, ninguém sabe. Saberemos no dia 1º de janeiro. Então, tem situações fiscais que só vão se desenhar plenamente quando assumirmos. Agora, me comprometo com você e com todas as pessoas que acompanham essa entrevista que em janeiro em vou informar tudo: a situação real do estado, com muita transparência.

Quando o novo governo assumir, haverá auditoria profunda na máquina pública?

Nós já estamos fazendo esse levantamento com os métodos disponíveis, as informações que eventualmente nós recebemos dos secretários e algumas coisas que estavam no portal da transparência. Vamos ter a plenitude de informações em janeiro. E o que eu tenho dito é que nós não vamos fazer algo similar a uma inquisição, uma auditoria geral, porque implicaria numa paralisação de obras e serviços que são de interesse público. Aquilo que é correto vai seguir normalmente. Agora, das coisas erradas, e todos os secretários estão sendo informados, a diretriz é cumprir a lei.

O senhor tem feito um esforço grande para transmitir ao Brasil que o Maranhão terá um novo governo. E que o grupo Sarney foi derrotado. Mesmo após o pleito, a polarização e a postura antissarney continua?

A polarização política naturalmente continua, e é democrático que ela continue. Nós temos que entender a conflituosidade como inerente à vida da sociedade, e as eleições servem exatamente para o arbitramento, pelo povo, de quem tem razão naquele dado momento. Agora, o que não vai haver é perseguição, discriminação contra quem tem uma visão política diferente da gente. Nesse sentido, primeiro, acho que uma grande colaboração que o grupo Sarney presta ao Maranhão é fazer a oposição. Eles ficarão na oposição, acho que isso é bom pra eles e é bom para o estado, pois queremos ter uma oposição que nos cobre, fiscalize, isso eleva a cultura democrática do Maranhão. Vamos dialogar aquilo que for de interesse de todos. Agora, não vamos confundir identidades. Nós temos a nossa identidade histórica, que é diferente da deles. E o povo, no dia 5 de outubro, escolheu um projeto com uma dada identidade, e nós seremos coerentes com esse pacto que nós celebramos com a sociedade do nosso estado.

Com essa eleição, o senhor se sente o homem que conseguiu derrotar a oligarquia Sarney no Maranhão?


Racionalmente, eu sei disso. Mas isso não integra meu conjunto de sentimentos. Eu não acordo de manhã pensando nisso nem durmo pensando nisso. Eu acho que isso é um fato histórico, que algum dia essa história vai ser analisada tal como se deu. Mas isso realmente não alterou a minha visão de mundo, porque, como disse há pouco, você tem que sempre estar alerta para essa celebração do feito aparentemente extraordinário que pode se transformar naquela vaidade que mata as boas intenções. Então eu realmente não penso nisso. Eu penso e muito é como melhorar a vida das pessoas, eu penso todos os dias nisso.

A eleição foi muito castigada por denúncias, críticas e agressões. É um sinal que a política do Maranhão precisa evoluir. Sente-se responsável por contribuir com isso?

Eu espero que isso seja alcançado com esse movimento coletivo que nós lideramos. Não é meu esforço individual. É o esforço do conjunto de lideranças. Para que a gente possa, na próxima eleição, viver um debate mais qualificado. Tenho apontado em várias entrevistas a necessidade de uma atitude diferenciada nos dois principais partidos nacionais. O PT e o PSDB lideraram as últimas seis eleições presidenciais e disputaram todas essas eleições após 1964. Portanto, são partidos que têm uma grande responsabilidade e devem, de algum modo, pactuar procedimentos sem renunciar identidades, mas garantir a funcionalidade do jogo político, sob pena da polícia substituir a política, que naturalmente não é o ideal. No caso do Maranhão, eu me surpreendi muito com a agressividade da campanha.

Governador, falando agora da governabilidade. Está confiante que terá uma Assembleia que atenda às necessidades do seu governo?

A governabilidade é dividida em dois planos: um da governabilidade social, nós mantermos a alta aderência do povo, da sociedade em relação ao nosso governo. Essa é uma dimensão do movimento social, movimento sindical, popular direto com essas atividades empresariais, sociedade civil, com a imprensa. Essa governabilidade, no sentido amplo, nós vamos cuidar com muito zelo, com muita atenção, porque é um fator de permanente legitimação para o governo. A legitimação não pode emergir apenas das urnas, tem que ser algo que se renova cotidianamente pelo exercício democrático do poder. Agora, nós temos a governabilidade institucional, no âmbito parlamentar. Não apenas no âmbito parlamentar, mas sobretudo nele. Nós temos uma ótima bancada na Assembleia que já demonstrou as suas virtudes, inclusive na oposição, porque é, de grande medida, responsável pela nossa vitória eleitoral. Nós ampliamos a nossa bancada eleitoral e nós temos um quadro de fragmentação partidária na Assembleia, que coloca esse desafio de nós fazermos um diálogo, praticamente, individualmente com os deputados. E assim temos feito, para nós construirmos essa maioria parlamentar e, com isso, termos a tranquilidade necessária da continuidade dos projetos de governo, Mas, repito, sem negar legitimidade da oposição. Assim como os deputados do governo serão recebidos pelos secretários, os deputados da oposição também serão, porque é um dever de nós todos.

O senhor tem falado muito em transparência. Essa é uma das grandes bandeiras do seu governo?

A transparência funda uma nova cultura política. É o que garante que esse ciclo político coronelista no Maranhão ficou para trás. O nosso estado praticamente, desde sempre, apenas trocou de coronel, trocou de oligarquia, trocou o personagem que ainda hegemoniza a cena política, mas não mudou os métodos. Para mudar os métodos, precisamos transferir poder para a sociedade. Transferir poder para que o mercado exista. Por isso que eu tenho falado tanto em relação aos empreendedores, empresários. Porque nós precisamos transferir negócios que hoje são pertencentes a um grupo de privilegiados para um mercado democrático, amplo, universal, em que as empresas possam competir livremente, independente das suas preferências políticas e ideológicas. Temos que transferir poder para os cidadãos, poder que hoje o governante exerce de modo monocrático, solitário, num quadro às vezes até de mistério. Isso não contribui para elevar a consciência social dos cidadãos. Então, nós precisamos empoderar a sociedade e, para isso, precisa ter conselho de alto a baixo, conselho de direitos, precisa usar a internet, precisa ter transparência para que isso seja duradouro, independentemente do resultado da próxima eleição.

Para finalizar, qual o seu sonho para o Maranhão?


Meu sonho pro Maranhão é que ele seja cada vez melhor e que a gente chegue nos patamares mais altos de desenvolvimento humano. É um sonho muito maior do que eu, é um sonho muito maior do que a minha geração. Mas é um sonho que deve ser sonhado. Meu horizonte é sempre uma utopia. O Mário Benedete tem uma versão muito bonita que diz que: “A utopia é que te faz caminhar”, então meu sonho é esse, que o Maranhão seja a Noruega, que é o país com o melhor IDH do mundo. É claro que eu sei que em quatro anos nós não vamos chegar lá. Faço questão de sublinhar isso, mas nós temos que sonhar essa história, temos que sonhar esse sonho e lutar por ele. E que outros venham depois disso com esse mesmo sonho.