SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Blog do Luis Pablo desmascara mais uma vez Márcio Jerry com provas



 Declaração do Superintendente de Articulação Regional de Pinheiro, Luciano Genésio.


O Blog do Luis Pablo desmascara mais uma vez o secretário de Articulação Política, Márcio Jerry (PCdoB), que usou hoje (28) sua rede social para dizer que o titular desta página estava mentindo sobre a declaração do superintendente de Articulação Regional de Pinheiro, Luciano Genésio.
Jerry disse que “Luciano Genésio divulgou nota há pouco contestando as mentiras plantadas num blog e reafirmando posição de aliado do gov Flávio Dino. Luciano Genésio desmente boatos e mentiras espalhados a partir de um blog. Mais uma mentira pra tentar disseminar intrigas”.
Na nota, Genésio diz que “em nenhum momento eu ou minha esposa (Thaiza) usamos a mídia ou procuramos o secretário de Assuntos Políticos e Federativos, Márcio Jerry, para relatar esquema de corrupção dentro da Hemomar”. Ele mentiu.
Luciano Genésio conversou com o titular do blog por meio do WhatsApp e falou que Jerry foi comunicado pela sua esposa sobre o esquema que estava acontecendo na Hemomar. Disse ainda que o diretor geral do órgão, Dário, tem ligação direta com uma pessoa muito influente no atual governo, dando a entender que seria Márcio Jerry.
Genésio falou até sobre a ex-subsecretaria de Saúde, Rosângela Curado (PDT), que foi exonerado do governo por conta da descoberta de um suposto esquema de propinagem. Ele chegou a dizer que o governo mostrou provas que Curado tava no esquema. O que é muito grave. “Com Rosangela chamaram ela e mostraram as provas, com agente não aconteceu isso” (sic).
Essa é a segunda vez que o Blog do Luis Pablo desmascara Márcio Jerry, mostrando provas. A primeira foi quando o blog mostrou a foto do seu genro preso. Relembre aqui, aqui, aqui e aqui.
Abaixo a conversa o titular do blog com Luciano Genésio:






Pesquisas eleitorais terão registro obrigatório em janeiro



O juiz eleitoral poderá determinar a suspensão da divulgação dos resultados da pesquisa contestada ou a inclusão de esclarecimento na divulgação de seus resultados.
A partir de 1º de janeiro as empresas que fizerem pesquisas de opinião pública sobre as eleições municipais, destinadas a conhecimento público, serão obrigadas a registrá-las na Justiça Eleitoral.
Segundo a resolução do Tribunal Superior Eleitoral (TSE) que disciplina o assunto, o registro deve ocorrer com antecedência mínima de cinco dias.
A divulgação de pesquisa sem o prévio registro e a eventual divulgação de pesquisa fraudulenta constituem crimes, puníveis com detenção de seis meses a um ano e multa de R$ 53.205,00 a R$ 106.410,00.
Os procedimentos a serem respeitados na produção e divulgação de pesquisas estão entre as regras para as eleições de 2016 que o (TSE) aprovou no último dia 15 de dezembro. No dia 2 de outubro, em primeiro turno, e em 30 de outubro, no segundo turno, todos os municípios brasileiros escolherão prefeitos, vice-prefeitos e vereadores.
De acordo com a regulamentação do TSE, os veículos de comunicação ficam sujeitos a punição se publicarem pesquisa não registrada, mesmo que apenas reproduzindo matéria veiculada em outro órgão de imprensa. Na divulgação dos resultados de pesquisas, atuais ou não, serão obrigatoriamente informados o período de realização da coleta de dados, a margem de erro, o nível de confiança, o número de entrevistas, o nome da entidade ou empresa que a realizou e o número de registro da pesquisa. Tais regras se aplicam, inclusive, ao que for divulgado no horário eleitoral no rádio e na televisão.
O registro abrangerá, entre outras informações, o nome de quem pagou pela pesquisa, o seu custo, o questionário aplicado e toda a metodologia seguida. Esses dados serão informados pela internet, onde ficarão disponíveis para toda a sociedade. A resolução também estabelece que será permitida, a qualquer momento, a divulgação de pesquisas realizadas em data anterior à das eleições. Os resultados delas poderão ser divulgados inclusive no dia da votação. No entanto, só poderá ser divulgado após o encerramento da votação o levantamento de intenção de voto feito no dia do pleito.
Conforme a normatização do TSE, o juiz eleitoral, o Ministério Público Eleitoral, os candidatos, os partidos políticos e as coligações poderão ter acesso a todas as informações internas relativas às pesquisas, incluindo a checagem dos dados coletados (preservada a identidade dos entrevistados) e a identificação dos entrevistadores.
Tanto o Ministério Público Eleitoral quanto os candidatos, partidos e coligações podem contestar o registro ou a divulgação das pesquisas, no juízo eleitoral competente.
O juiz eleitoral poderá determinar a suspensão da divulgação dos resultados da pesquisa contestada ou a inclusão de esclarecimento na divulgação de seus resultados.
Durante a campanha eleitoral, é proibida a divulgação de enquetes ou de quaisquer outros levantamentos de opinião relativos às eleições que não estejam de acordo com as determinações expressas baixas pelo TSE



Flávio Dino diz que no primeiro ano economizou R$ 325 milhões e anuncia que governo não vai financiar campanhas eleitorais.

 Essa eu quero vê! Se não financiar vai perde todas.

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), disse que na sua gestão foram economizados R$ 325 milhões com o corte de gastos supérfluos ou gastos ilegais.
A declaração foi feita em uma entrevista do Jornal Pequeno publicada neste domingo (27).
“conseguimos fazer com que esse dinheiro pudesse ser aplicado em programas sociais importantes, como o programa Bolsa Escola – que vai em janeiro dar a famílias de baixa renda a possibilidade de comprar material escolar para seus filhos, – e o programa Escola Digna, que começa a substituir as escolas de taipa por novos prédios decentes e adequados”, disse Flávio
Governador falou sobre impeachment, segurança pública e participação nas eleições
Durante a entrevista, o governador falou sobre a crise econômica e a necessidade do seu governo estar preparado para enfrentar a queda na receita. Outro ponto considerado “sensível a aprimorar” é a questão de segurança pública, segundo disse Flávio Dino.
Sobre o impeachment da presidente Dilma Rousseff, Flávio Dino disse que é algo desastroso parao país: “eu reafirmo a minha crença de que o impeachment é inconstitucional e é nocivo aos interesses do País e do Maranhão”.
Em relação às eleições municipais, Flávio Dino reafirmou que o governo não vai se engajar no apoio a nenhuma candidatura.
“O governo não vai participar das eleições, porque a tarefa do governo é governar. Nós não teremos recursos públicos financiando campanhas. Isto é inclusive uma revolução no Maranhão. Mas o governador vai participar intensamente, porque tem compromissos assumidos em 2014, e este vai ser um parâmetro fundamental. Todos aqueles que estiveram comigo na campanha serão respeitados. E os compromissos que eu fiz em 2014 serão honrados. Então, como governador, como militante político, estarei sim presente nas eleições municipais, buscando em primeiro lugar unificar ao máximo o quanto possível o nosso campo, os nossos partidos que fizeram com que eu estivesse aqui no governo e, quando isto não for possível, buscando acordos de procedimentos entre os vários partidos, a fim de permitir que nós mantenhamos esta unidade estadual”, disse Flávio Dino.