SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

SECRETARIA MUNICIPAL DE EDUCAÇÃO

Flávio Dino realizará encontro com os 217 prefeitos eleitos

Na reunião, que acontecerá na capital, o governador apresentará a equipe de Governo, e o balanço, com o principais programas e ações. Como prática comum da atual gestão, o objetivo de dialogar com todos os prefeitos, sem distinções políticas partidárias, conferindo igual tratamento.

Um momento de diálogo e interação entre todos os prefeitos eleitos no último pleito e o Governo do Maranhão será realizado, no dia 25 de novembro, pela gestão estadual A intenção é apresentar aos líderes do executivo municipal que assumirão em 1° de janeiro de 2017 o trabalho que vem sendo desenvolvido pelo Governo. Na oportunidade, o governador Flávio Dino ainda fará o anuncio do Pro Município, um programa de assistência técnica aos municípios.
“Em novembro, nós vamos convidar todos os 217 prefeitos, indistintamente, para nós apresentarmos os principais programas do Governo do Estado, programas como Mais IDH, Água Para Todos, Mais Asfalto, Escola Digna. Programa de apoio aos municípios no que se refere a urbanização, pavimentação, programas no campo do esporte, na área da cultura. Nós vamos resenhar todos esses programas e mostrar para todos os prefeitos e prefeitas como eles podem fazer parcerias com o Governo do Estado, quais são os caminhos pelos quais será possível haver convergência de esforços, ou seja, conjugação de recursos municipais e estaduais para que haja melhores resultados para a população”, explicou o governador Flávio Dino.
Para o secretário de Estado da Comunicação Social e Assuntos Políticos, Márcio Jerry, o encontro será importante para afinar propósitos entre os executivos estadual e municipais. “Este é um Governo democrático e assim seguirá. Estamos organizando o encontro com os prefeitos eleitos a fim de apresentar o funcionamento do Governo do Estado e também ouvi-los”, explicou Marcio Jerry.
Durante o encontro, também será anunciado o Programa ProMunicipio, que é um compromisso do governador Flávio Dino, que conta no plano de Governo. Ele oferecerá assistência técnica aos gestores, disponibilizando uma plataforma de dados com informações sobre ações do Governo em cada cidade, sobre convênios estaduais em vigência e outros números usuais aos prefeitos


Mulher mata ex para evitar estupro e é sequestrada pelos filhos dele

Jovem de 20 anos conseguiu escapar do cativeiro e foi encontrada pela polícia; caso aconteceu em Piracicaba

Uma mulher de 20 anos matou no último sábado (29) o ex-namorado, de 52 anos, que queria ter relações sexuais com ela à força, com uma facada no peito dele. O caso aconteceu em Piracicaba, São Paulo. Só que após o assassinato do homem, a jovem, que é babá, foi sequestrada pelos filhos do morto: dois rapazes de 21 e 24 anos.
De acordo com o G1, os sequestradores a levaram para um cativeiro, onde a amordaçaram e a amarraram. Segundo a polícia, a moça seria “julgada” por um “tribunal do crime” e depois. Porém, ela conseguiu fugir pela janela e foi encontrada pela Polícia Militar.

Os sequestradores foram presos em flagrante neste domingo (30). A jovem babá confessou que matou o ex-namorado mas que agiu em legítima defesa, de acordo com a PM. O homem tinha agredido a jovem e ia estuprá-la

Itália é atingida por novo tremor na madrugada desta segunda

A população sentiu réplicas dos tremores do dia anterior, a maior delas foi a de 4,2 graus de magnitude, às 4h27 (1h27 no horário de Brasília)
Na noite após o terremoto de 7 graus na escala Richter que atingiu a região central da Itália neste domingo, dia 30, milhares de italianos tiveram que dormir em seus carros ou em centros de acolhimento de suas cidades.
Durante a madrugada, a população da Úmbria, Marcas e Lazio também sentiu réplicas dos tremores do dia anterior, a maior delas foi a de 4,2 graus de magnitude registrada às 4h27 (1h27 no horário de Brasília) ainda na área de Norcia.
Até o momento, de acordo com comunicado da Defesa Civil, são mais de 15 mil as pessoas que estão recebendo assistência do órgão após os sismos de ontem e os dos dias 24 de agosto e 26 de outubro.
Mais de 500 pessoas foram acolhidas em hotéis na área de Trasimeno, na província de Perugia, cerca de 4 mil estão em estruturas hoteleiras na costa adriática, outras 3 mil estão na Úmbria em centros de acolhimento e mais de 7 mil estão nas Marcas na mesma condição.
Estes dados, referentes aos tremores deste domingo, continuam a ser atualizados. Dos italianos assistidos pela Defesa Civil, cerca de 1,1 mil deles estão sem casa devido ao terremoto de 24 de agosto, no qual 298 pessoas morreram.

Desde então, eles estão vivendo em hotéis ou em centros de acolhimento principalmente em San Benedetto del Tronto, perto das habitações dos projetos Complessi Antisismici Sostenibili e Ecocompatibili (C.a.s.e, Complexos Antissísmicos Sustentáveis e Eco-compatíveis), em Áquila, e Moduli Abitativi Provvisori (M.a.p, Módulos de Habitação Provisórios), em Abruzzo. (ANSA)

Em São Luis do Maranhão Edivaldo Holanda vence a eleição com o apoio do governador Flávio Dino

Os eleitores de São Luis do Maranhão consagraram neste dia 30 a reeleição do prefeito Edivaldo Holanda Júnior (PDT) Ele disputou o segundo turno da eleição contra o deputado estadual Eduardo Braide (PMN) e foi eleito pela diferença de 41 mil 651 votos. Edivaldo Holanda obteve 285.242 votos (53,94%) contra 243.591 (46,06%) de Eduardo Braide.
No início da apuração o candidato Eduardo Braide saiu na frente. Aos 13% de votos apurados, começou a se registrar uma reação do candidato Edivaldo Holanda que ultrapassou o adversário quando eram apurados 32,11% dos votos. A partir daí a vitória se confirmava a cada atualização do sistema da Justiça Eleitoral.
A vitória consolida a liderança do prefeito e do governador Flávio Dino. Assim que Flávio Dino assumiu o governo do Estado, firmou parceria com a Prefeitura o que contribuiu para abertura de várias frentes de trabalho em São Luis.
Duas vezes Edivaldo vence no segundo turno
Na primeira eleição, em 2012, o prefeito Edivaldo Holanda venceu no segundo turno o hoje deputado federal João Castelo. Naquele ano, filiado ao PTC, Edivaldo obteve o percentual de 56,06% dos votos, exatamente 280 mil 809 votos.
Nesta eleição, Edivaldo Holanda venceu o primeiro turno com 45,66% ou 239 mil 737 votos. No segundo turno o prefeito Edivaldo alcançou 53,94% dos votos.
Abstenção, nulos e brancos

Os votos nulos no segundo turno em São Luis foram 15 mil 944. Os votos em branco foram dados por 8 mil 758 eleitores. A abstenção caiu em relação ao ano de 2012. Naquele ano a abstenção foi de 22,04% e neste segundo turno, 106 mil eleitores deixaram de votar, o que corresponde a 16,10%.

Pesquisa TV Guará/Exata confirma ampla vitória de Edivaldo

Nesta sexta-feira (28), mais uma pesquisa sobre a disputa eleitoral do 2º Turno na capital maranhense foi divulgada e foi mais um instituto que confirmou, não só a vitória do candidato Edivaldo Júnior (PDT), como a ampliação da vantagem.
A pesquisa divulgada foi da Exata, contratada pela TV Guará, e apontou uma vantagem de 14 pontos favoráveis ao candidato Edivaldo.
Na pesquisa, levando em conta apenas os votos válidos, ou seja, descartando brancos, nulos e indecisos, Edivaldo aparece com 57% dos votos válidos, contra 43% do candidato Eduardo Braide (PMN).
A pesquisa Exata/TV Guará ouviu 800 pessoas entre os dias 25 e 27 de outubro e está registrada na Justiça Eleitoral sob o número nº MA-04457/2016. A margem de erro é de quatro pontos percentuais para mais ou para menos e o grau de confiabilidade é de 95%
Ampliando – A vantagem de Edivaldo diante de Braide, de acordo com a nova pesquisa, acabou aumentando.
Na primeira pesquisa da TV Guará/Exata no 2º Turno a vantagem de Edivaldo era de apenas um ponto. Edivaldo apareceu com 46% e Braide com 45%. Na segunda pesquisa, além da ampliação da vantagem, Edivaldo cresceu 3 pontos e Braide caiu quatro pontos, pois ficou 49% x 41%.
Neste terceiro levantamento, Edivaldo subiu 8% e Braide caiu 2%, ou seja, além de permanecer na frente, Edivaldo seguiu ampliando a vantagem


GOVERNADOR FLÁVIO DINO VISITA AS CIDADE DA BAIXADA MARANHENSE EM ESPECIAL A CIDADE DE PINHEIRO PARA A ENTREGA DA UNIDADE DO VIVA


O governador Flávio Dino estará, nesta sexta-feira (28), na Baixada Maranhense, cumprindo extensa agenda. Nos municípios de Viana, Newton Bello, Pinheiro e Cururupu, Dino realizará inaugurações e fará visita à importantes ações do Governo do Estado nestes municípios.No fim da manhã, o governador ainda passará por Pinheiro, acompanhado do prefeito eleito Luciano Genesio, onde inaugurará uma nova unidade do Viva e fará a entrega de 12km pavimentação, através do Programa ‘Mais Asfalto’ para o próximo prefeito Luciano Genesio, Deputado Federal Waldir Maranhão esteve presente na região da baixada prestigiando este momento da vinda do governador na baixada maranhense. Luciano ressaltou a importância da parceria do governo do estado com o município de Pinheiro.
Flávio Dino encerra a visita pela baixada maranhense com a Inauguração da Delegacia de Cururupu e Visita à Santa Casa. A nova delegacia conta com três salas – de captura, cartório e gabinete para o delegado – mais dois dormitórios. Sob o comando do delegado Diego Duarte Lemos, estarão quatro investigadores
Em Viana, às 8h, o governador participa, acompanhado do secretário de Estado de Agricultura Familiar, Adelmo Soares, da IV Feira de Agricultura Familiar e Agro tecnologia (Agritec), na oportunidade, realizando a entrega de três Títulos de Terra para Associações locais.  A Agritec tem o objetivo de estimular o desenvolvimento da agricultura familiar em todo o estado, conjugando esforços em diferentes frentes, como a assinatura de contrato de concessão de crédito para desenvolvimento da agricultura familiar, a doação de kit feira do Programa ‘Mais Produção’ e a entrega títulos de terra.
Em seguida, Flávio Dino segue para o municípios de Newton Bello, para visitar mais uma obra do programa Escola Digna, ao lado do secretário de Estado da Educação, Felipe Camarão. A Escola Municipal São José, localizada no povoado Santa Luzia, está sendo construída pelo Governo do Estado em parceria com a empresa Quick House, a escola conta com duas salas de aula; sala multimeios; diretoria; banheiros; cozinha e pátio central, que beneficiará 53 alunos. A escola foi construída por sistema modular, com um investimento de mais de R$ 388 mil, que beneficiará 53 alunos das séries iniciais do pré-escolar ao 5º ano do ensino fundamental.


Renan Calheiros pode ser afastado na próxima semana

O motivo seria o fato de ele ser réu em processo no Supremo

O Supremo Tribunal Federal (STF) deve decidir, em votação, pelo afastamento do presidente do Senado, Renan Calheiros, do cargo que ocupa na instituição. O motivo seria o fato de ele ser réu em processo no Supremo.
De acordo com a coluna Esplanada do jornal O Dia, Renan pode pagar o mesmo preço cobrado de Eduardo Cunha pela Rede, que impetrou ação na Corte questionando se um réu pode presidir uma instituição legislativa.

A ação de Renan ‘subiu’ para o plenário apenas dois dias após a encrenca verborrágica em que o senador se meteu, criticando juiz de 1ª instância

Os "juizeco" de primeira instância acionam Conselho de Ética do Senado contra Renan

Grupo quer apuração sobre possível quebra de decoro por parte do peemedebista
Nesta quinta-feira (27), um grupo de juízes de cinco estados protocolou uma representação no Conselho de Ética do Senado contra o presidente da Casa, Renan Calheiros, por suposta quebra de decoro parlamentar.
Renan afirmou, na última segunda (24), sem identificar as pessoas, que um "juizeco" de primeira instância não pode, a qualquer momento, "atentar contra um poder".
A declaração foi feita quando o senador anunciava à imprensa uma ação no Supremo Tribunal Federal (STF) para que a Corte estabeleça os limites para atuação de magistrados no país, segundo o G1.
A Polícia Federal deflagrou, na semana passada, a Operação Métis, autorizada pelo juiz federal Vallisney de Souza Oliveira, da 10ª Vara Federal de Brasília. Nela, quatro policiais legislativos foram presos suspeitos de fazer varreduras com o objetivo de encontrar grampos nas residências de senadores investigados em operações, como a Lava Jato.
"Houve uma agressão injusta, indevida, desproporcional, sobretudo, quando vem de um senador da República. É uma ofensa ao magistrado que presidia a ação, à magistratura, a todos juízes de primeira instância e, também, uma ofensa ao poder Judiciário. É preciso se reestabelecer a respeitabilidade no trato entre os membros dos poderes", disse o juiz pernambucano Luiz Rocha, um dos que assinaram a representação contra Renan.
Ainda nesta quinta (27), o ministro do Supremo Tribunal Federal (STF) Teori Zavascki determinou a suspensão da Métis e mandou transferir todo o processo relativo à operação da Justiça Federal do Distrito Federal para o STF. Teori se decidiu após analisar pedido de um dos policiais presos na operação.
Além da reação dos juízes, as declarações de Renan Calheiros provocaram repercussão nos meios político e jurídico.
A presidente da Corte, ministra Cármen Lúcia, por exemplo, durante sessão do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), pediu "respeito" ao Poder Judiciário e disse que "onde houver um juiz destratado, eu também sou".

Em representações levadas ao Conselho de Ética por suposta quebra de decoro parlamentar, o presidente do conselho, senador João Alberto (PMDB-MA), recebe a petição e a despacha para a Advocacia-Geral do Senado, onde é elaborado um parecer sobre o documento. Após essa análise, cabe ao presidente do Conselho de Ética decidir se abre ou não processo contra um senador

LUCIANO GARANTE COM WALDIR MARANHÃO EMENDA DE 10 MILHÕES PARA PINHEIRO

Com objetivo de fazer uma transformação e de buscar o desenvolvimento para Pinheiro, o prefeito eleito, Luciano Genésio (PP), já deu início aos trabalhos em prol do município.

Nesta semana, Luciano conseguiu R$ 10 milhões em emendas individuais para beneficiar a população pinheirense. A verba foi destinada pelo deputado federal Waldir Maranhão (PP).

“Agradeço o empenho e o compromisso do deputado Waldir na campanha vitoriosa em Pinheiro. Agora fico mais feliz em saber que a nossa cidade está sendo reconhecida e a nossa futura gestão com credibilidade para buscar o desenvolvimento.”, declarou Luciano Genésio.


Segundo o prefeito eleito, os recursos serão aplicados na ampliação e reforma do hospital regional Antenor Abreu com aquisição de equipamentos; ampliação e reforma do Materno Infantil com aquisição de equipamentos. “Faremos o Centro de Diagnóstico por Imagem e também o Centro oftalmológico”, afirmou Genésio.

Pela rede social, Jefferson Portela chama Ricardo Murad de “vampiro desdentado”


Dias atrás o secretário de Estado da Segurança Pública, Jefferson Portela, usou sua página nas redes sociais para mandar um recado ao ex-secretário de Estado da Saúde do governo Roseana Sarney. Ao compartilhar uma notícia do Jornal Pequeno, o delegado chamou Ricardo Murad de ‘vampiro desdentado’.

“Esse vampiro desdentado Ricardo Murad apronta em todos os lugares e contamina todos os ambientes. Esquece que há tempo para tudo. Inclusive para o fim de iniquidades. Acabou, Vampirão.”, disse Portela

Othelino destina emenda para o Sistema de Abastecimento de Água de Vargem Grande, esquece a cidade de Pinheiro na qual seu candidato Leonado Sá obteve 6,000 votos

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), garantiu, nesta terça-feira (25), a obra de ampliação e recuperação do Sistema de Abastecimento de Água e construção de nova adutora  para o município de Vargem Grande. Ele fez o anúncio durante reunião com o prefeito eleito Carlinhos Barros (PCdoB), acompanhado de comitiva, o deputado estadual Othelino Neto (PCdoB) e o secretário estadual de Comunicação e Articulação Política, Márcio Jerry, no Palácio dos Leões.
A obra do governo do Estado contará com emenda parlamentar, no valor de R$ 1 milhão, destinada ao município por Othelino Neto. Na próxima semana, uma equipe da Companhia de Água e Esgoto do Maranhão (Caema) já irá a Vargem Grande para as primeiras providências.
Durante a reunião, o prefeito e Othelino fizeram uma exposição de motivos sobre o grave problema de falta de água em Vargem Grande. Sensível à causa, o governador autorizou a obra e discutiu com a comitiva outras necessidades da população de Vargem Grande.
“O problema número um de Vargem Grande é, justamente, a falta de água que prejudica a população do município. É com muita satisfação que estou destinando R$ 1 milhão de emenda parlamentar para essa obra de ampliação do sistema de abastecimento de água, ajudando a acabar com esse sofrimento”, disse.
Participaram da reunião, além do governador, do prefeito, de Othelino e de Márcio Jerry, o vice-prefeito eleito, Jorge Fortes, o vereador Germano Barros (PSD) e a equipe de transição da nova administração. O encontro marcou o início do diálogo entre a próxima gestão e o governo do Estado para a construção de parcerias, sobretudo nas áreas de abastecimento de água, saúde e infraestrutura.

Ô LOUCO! Alunos de escolas municipais de Pio XII “consomem” 1,5 tonelada de banana em 4 dias

Devido a um conjunto de irregularidades em licitações para fornecimento de merenda escolar, o Ministério Público do Maranhão, em Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa, ajuizada em 25 de outubro, requereu o afastamento do cargo do prefeito de Pio XII, Paulo Roberto Veloso. Outras 10 pessoas, entre agentes públicos e empresários, também foram acionadas.
Na mesma ação, foram pedidos os afastamentos da secretária municipal de Educação, Iracélia Naiva de Oliveira, dos pregoeiros da Prefeitura de Pio XII Miuzete Fontenele Nascimento, Railan Nascimento Ferreira e Adão Nascimento Ferreira (que exerceram o cargo, respectivamente, nos anos de 2013, 2014-2015 e 2016) e do vice-presidente do Conselho da Merenda Escolar do município, Paulo Gustavo da Conceição Araújo.
Ainda são alvo da ação a ex-secretária de Educação, Iara Araújo Portilho, o ex-secretário de Administração, Antonio Roberval Lima, Adson Carlos Silva Oliveira, o empresário Roberto Tavares Silva e José Arimateia Carvalho, presidente da Associação dos Produtores da Região Bacuri dos Quaresmas.
Após as investigações, o Ministério Público conseguiu identificar diversas fraudes nos contratos para fornecimento de merenda escolar, que podem gerar um prejuízo ao erário municipal da ordem de R$ 4.615.816,00.
Entre as irregularidades, foram constatados superfaturamento de preços, entrega de produtos da merenda de marcas diversas das exigidas nas licitações, itens não entregues ou enviados em quantidades menores, gêneros alimentícios em condições impróprias ao consumo ou em armazenamento inadequado.
1,5 tonelada de banana
Um episódio que chamou a atenção dos servidores da Promotoria de Pio XII, quando realizavam diligências no depósito da merenda escolar da Secretaria de Educação e nas escolas do município, foi o que envolveu a suposta entrega de 1.430kg de bananas por produtores da agricultura familiar. Conforme as guias de entrega verificadas, somente dois produtores teriam entregue, no dia 8 de setembro de 2016, esse quantitativo. No entanto, em inspeções feitas nos dias 12, 13 e 14 do mesmo mês, nas escolas e no depósito, o produto não foi encontrado. “Como é que 1.430kg, quase uma tonelada e meia de banana, foi consumida em apenas quatro dias?”, questiona o promotor Francisco Thiago Rabelo, autor da Ação Civil Pública.
Além disso, nas guias de remessa analisadas pelos servidores do MP, na maioria das escolas, não consta o recebimento de banana.
Penalidades
Para o titular da Promotoria de Pio XII, é “imprescindível o afastamento cautelar do prefeito” e dos demais agentes públicos dos cargos, a fim de evitar prejuízos à instrução processual, “bem como forma de acautelar a ordem pública, na medida em que, no exercício de suas funções, poderão continuar a dilapidar o patrimônio público”.
A fim de garantir a devolução ao erário dos recursos desviados, bem como o ressarcimento pelos danos provocados, foram requeridos, como medidas cautelares, o sequestro e a indisponibilidade dos bens dos envolvidos, incluindo contas bancárias, imóveis e veículos automotores.
Também foi solicitada a suspensão de todas as licitações e contratos para fornecimento de merenda escolar, bem como seus respectivos pagamentos, e determinação ao responsável pelo município para realização de nova licitação, em regime de urgência, para fornecimento de merenda escolar pelo final do período letivo de 2016.
Ao final do processo, o Ministério Público requer que os acionados sejam condenados por improbidade administrativa, com a aplicação das seguintes penalidades: ressarcimento integral dos danos (materiais e morais), perda da função pública, suspensão dos direitos políticos pelo período previsto na Lei 8.249/92, pagamento de multa civil de até 100 vezes o valor da remuneração por eles recebida e proibição de contratar com o Poder Público ou de receber benefícios ou incentivos fiscais ou creditícios, direta ou indiretamente, ainda que por intermédio de pessoa(s) jurídica(s) da(s) qual(is) seja(m) sócio(s) majoritário(s). (Com informações do MPMA).


Temer alista seu governo na infantaria de Renan


Renan, tem 32 milhões de motivos para espumar de raiva

Às favas a lógica com o caso da Polícia Legislativa do Senado. Sob Renan Calheiros, montou-se nos porões do Poder Legislativo um departamento de bisbilhotagem. Com verba pública, adquiriram-se equipamentos de inteligência capazes de fazer e desfazer grampos e escutas ambientais. Às custas do contribuinte, policiais legislativos foram mobilizados para proteger senadores suspeitos de assaltar o Estado. Realizaram-se varreduras de escutas em gabinetes, residências funcionais e imóveis particulares —em Brasília e alhures. E Renan, em vez de ficar constrangido, está irritado.
Pilhado numa investigação de mostruário —nascida de uma delação, executada pela Polícia Federal, sob supervisão do Ministério Público Federal e com a anuência do Poder Judiciário—, o Senado reagiu com uma nota oficial assinada por seu presidente. Nela, Renan Calheiros defende as ações de quatro policiais legislativos presos e demarca o seu terreno: “As instituições, assim como o Senado Federal, devem guardar os limites de suas atribuições legais.” Beleza. Mas faltou responder: quem zelará pelo interesse público quando o Senado for utilizado como biombo para ilegalidades?
Depois de emitir a nota, Renan dedicou-se a uma de suas especialidades: a retaliação. Borrifou ameaças no ar. Fez saber ao Planalto que não gostou da entrevista na qual o ministro Alexandre Moraes (Justiça) justificou a operação montada para deter as extrapolações dos policiais legislativos. E voltou a brandir o projeto que pune os chamados abusos de autoridade. Renan faz dessa proposta uma espécie de espada multiuso. Ora espeta os procuradores da força-tarefa da Lava Jato ora cutuca Sergio Moro. Revela-se capaz de tudo, menos de um autoexame que o faça enxergar seus próprios abusos.
De repente, numa subversão da lógica, o Planalto deflagrou uma articulação para acalmar Renan. Coordenador político do governo, o ministro Geddel Vieira Lima tocou o telefone para o senador. O próprio Michel Temer adulou Renan com um telefonema. Antes, enquadrou o ministro da Justiça, convocando-o em pleno sábado para prestar informações sobre a operação em que a Polícia Federal, munida de cinco mandados judiciais de busca e apreensão e quatro ordens de prisão, recolheu equipamentos de espionagem do Senado e prendeu quatro policiais legislativos, entre eles o diretor da Polícia do Senado, Paulo Ivo Bosco Silva, homem de confiança de Renan.
Num par de telefonemas, o governo Michel Temer atravessou a Praça dos Três Poderes para se alistar na infantaria que, sob Renan Calheiros, é acusada de obstruir investigações que alvejam personagens como Fernando Collor, José Sarney, Edison Lobão Filho e Gleisi Hoffmann. O Planalto reforça seu alinhamento com Renan num instante em que a Lava Jato arromba o principal armário do imperador de Alagoas: a Transpetro.
O delator Felipe Rocha Parente, que se apresenta como entregador de propinas, revela aos investigadores os caminhos que a verba suja percorreu para migrar da subsidiária da Petrobras para os bolsos de pajés do PMDB. Estima-se que escoaram por esse duto pelo menos R$ 100 milhões em 12 anos. Desse total, Renam apropriou-se R$ 32 milhões, informou outro delator, o ex-presidente da Transpetro Sérgio Machado.
Compreende-se a irritação de Renan. Ele tem 32 milhões de motivos para espumar de raiva. Quem conhece o senador sabe: é nos instantes em que está for a de si que ele mostra o que tem por dentro. O que parece incompreensível é o esforço que o governo empreende para demonstar que é parte do problema. Não há governabilidade que justifique o erro político de reforçar a impressão de que Renan manda porque pode e o presidente da República obedece porque tem juízo. Dilma Rousseff mantinha com Lula um relaciomamento do mesmo tipo. Deu em Michel Temer.


Quase 80% das cidades brasileiras estão com as contas no vermelho

Situação se agravou neste ano porque os municípios contavam com repasse de R$ 99 bi do FPM, mas valor deve ficar em R$ 84 bi.
 ‘Bomba fiscal’ aguarda novas administrações
       
Adriana Fernandes e Idiana Tomazell/Brasília
O Estado de S. Paulo

Passado o segundo turno das eleições, a situação financeira das prefeituras virá à tona. De 3.155 municípios que informaram o quadro de suas finanças ao Tesouro Nacional, 2.442, ou 77,4%, já estão com as contas no vermelho, segundo levantamento feito pela Confederação Nacional dos Municípios (CNM). E a situação vai piorar até o fim do ano, com a contínua queda da arrecadação, deixando a bomba fiscal para a próxima administração.

Ao contrário dos governadores, que alardearam nos últimos meses a crise sem precedentes nos seus cofres para ganhar mais dinheiro do governo federal, as prefeituras empurraram os problemas para debaixo do tapete durante a campanha eleitoral – não é exatamente um trunfo eleitoral mostrar que as finanças estão descontroladas.

Os futuros prefeitos, que vão herdar o rombo – no caso dos reeleitos, deles mesmos –, fizeram uma romaria nos últimos dias pelos gabinetes do Congresso em busca de dinheiro para 2017. Mas, com o teto de gastos já aplicado ao Orçamento federal do ano que vem, se depararam com uma grande dificuldade em emplacar seus pedidos de emendas aos deputados e senadores.

As informações prestadas pelos municípios ao Tesouro não são obrigatórias. Por isso, boa parte dos 5.570 prefeitos não as enviam. Mesmo assim, o levantamento representa o retrato mais amplo disponível sobre as finanças das prefeituras. Ao analisar por Estados, todos os municípios do Amazonas e do Rio que divulgaram as informações estão no negativo. Em São Paulo, 402 prefeituras registram déficit. No Rio Grande do Sul, o quadro não é muito diferente, com 371 cidades nessa situação.

“A bomba já estourou e vai ficar pior até o final do ano. No período eleitoral, quem vai dizer que está mal?”, diz o presidente da CNM, Paulo Ziulkoski. Segundo a confederação, 576 delas estão atrasando salários.

Fundo menor

A crise se agravou porque os prefeitos contavam com R$ 99 bilhões de repasses do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) em 2016, mas a previsão é que esse valor não chegará a R$ 84 bilhões no fim do ano. A queda das transferências da União é mais dramática para Estados do Nordeste e Norte do País, onde boa parte das prefeituras depende desse dinheiro.

As prefeituras também arcam com custos cada vez maiores com a Previdência. No ano passado, a despesa com servidores inativos cresceu 13,22% ante 2014, segundo dados do Tesouro Nacional para municípios acima de 200 mil habitantes. As receitas correntes, por sua vez, subiram apenas 6,81% no período.

“Só vamos saber mesmo a situação quando sentarmos na cadeira”, diz o prefeito eleito de Brejo Grande (SE), Clysmer Ferreira. Membro do PSB, ele era o candidato da oposição no município e esteve no Congresso na última semana para pedir emendas aos parlamentares.

Se para os prefeitos que vão assumir os cargos a perspectiva para o ano que vem não é animadora, para os que estão deixando o cargo com as contas deficitárias o risco é de uma condenação por crime de responsabilidade fiscal. Na avaliação da CNM, muitos prefeitos vão virar ficha- suja. A Lei de Responsabilidade Fiscal proíbe uma série de práticas nos últimos oito meses do mandato, entre elas deixar ao sucessor restos a pagar a descoberto (sem dinheiro em caixa para honrar o pagamento).

O economista José Roberto Afonso, pesquisador do Ibre/FGV e um dos formuladores da LRF, acredita que a sanção é correta, desde que em situação de normalidade econômica. “Não é o caso agora. Seria preciso encontrar uma solução que impedisse uma gastança, mas não levasse a punições de prefeitos por fatores que são alheios à sua atuação.”

“Só vamos saber mesmo a situação quando sentarem na cadeira.”


Três pessoas morrem em acidente grave na BR-135, em Presidente Dutra


Três pessoas morreram em um acidente grave na BR-135, na saída da cidade de presidente Dutra, por volta de 17h30 de sábado (22).

Pelas informações passadas em redes sociais, um mototaxista teria tentado desviar de uma carreta e perdeu o equilíbrio depois de passar por um buraco.

Descontrolada, a motocicleta colidiu contra uma caminhonete que seguia em sentido contrário.

As vítimas do acidente são dos povoados Palma e Sapucaí, na cidade de Presidente Dutra. 

Duas das vítimas são pai e filha, inicialmente identificados como Douro e Jéssica, que deixa um filho de um ano


Comerciante envolvido em assaltos a bancos é preso na cidade de Presidente Dutra

A Polícia Civil, por intermédio da Superintendência Estadual de Investigações Criminais (SEIC), prendeu em flagrante delito na cidade de Presidente Dutra, Raimundo Belarmino da Silva, de 44 anos, natural de Lima Campos.

Ele é acusado de participar de uma quadrilha que explodiu e assaltou a agência do Banco do Brasil na cidade de Governador Eugênio Barros na madrugada de ontem, sábado (22).

Em relação a esse assalto, que ocorreu por volta de 1h30, de acordo com informações da polícia a quadrilha era composta  de dez integrantes. Eles chegaram à cidade em dois veículos, foram à guarnição  da PM e trocaram tiros com os policiais para despistá-los. Enquanto isso, ouutra parte do bando explodia os caixas eletrônicos da agência bancária. Os caixas eletrônicos e as portas de vidro foram destruídos por completo.  Logo após o assalto os assaltantes fugiram em direção a Gonçalves Dias e a polícia deu início às investigações, chegando a Berlarmino.

Agência do BB em Governador Eugênio Barros ficou destruída
Ele também teve prisão decretada por participação no assalto ao Banco do Brasil na cidade de Gonçalves Dias, no dia 22 de julho.

O preso é comerciante na cidade de Presidente Dutra e realizava o levantamento das rotas de fuga, dia de abastecimento dos bancos na região e a movimentação dos policiais para posteriormente repassar para a quadrilha realizar os assaltos.


A polícia acredita que, com a prisão do comerciante, será possível chegar aos outros integrantes da quadrilha


Em menos de dois anos Seccor prendeu quatro prefeitos e sete ex-prefeitos; confira relação


O governo do estado através  da Secretaria de Segurança Pública (SSP) tem desde o início do governo Flávio Dino – quando o secretário Jefferson Portela assumiu a gestão da instituição — realizado operações que têm apresentado resultados positivos à toda a sociedade maranhense.
Criada no governo Flávio Dino para combater de forma intensiva a corrupção contra o patrimônio público, a Superintendência Estadual de Prevenção e Combate à Corrupção (Seccor), órgão ligado a Polícia Civil do Estado  – coordenado pela Delegacia Geral com o delegado geral Lawrence Melo – é responsável por ações que desarticula quadrilhas especializadas em desvios de recursos.
A instituição policial comandada pelo Delegado Roberto Fortes, foi uma das medidas adotadas pelo Governo para impedir que crimes contra órgãos da esfera pública, continuassem acontecendo no estado.
Em menos de dois anos de existência, a SECCOR realizou várias operações contra a corrupção em diversos municípios maranhenses. Nas ações, de forma exitosa foram presos 04 (quatro) prefeitos, 07 (sete) ex-prefeitos, além de muitos empresários e diversas pessoas envolvidas em desvios de recursos públicos.
O blog fez relação de alguns nomes que ganharam notoriedade na imprensa local e até nacional. Confira Abaixo:
No ano de 2015:
Maria Arlene Barros costa – ex-prefeita de Dom Pedro;
Manoel Edivan Oliveira Costa – então prefeito de Marajá do Sena;
Perachi Roberto de Farias Morais – ex -prefeito de Marajá do Sena;
Raimundo Nonato Sampaio , Natim – ex-prefeito de Zé Doca;
Richard Nixon Monteiro dos Santos – então prefeito de Bacuri;
Raimundo Nonato Lisboa – ex -prefeito de Bacabal;

No ano de 2016:
José Cardoso da Silva Filho – ex -prefeito de São Domingos do Azeitão;
Maria Arlene Barros costa – ex-prefeita de Dom Pedro; [Segunda vez]
Domingos Sávio Fonseca e Silva – ex -prefeito de Turilandia;
Tancledo Lima Araújo – prefeito de Paulo Ramos;
Elano Martins Coelho – prefeito de Nova Colinas;
Nilce de Jesus Farias Ribeiro – prefeita de Guimarães.



Collor, Sarney e Lobão são alvo da PF no Congresso

Um policial relatou à PGR que o chefe da polícia do Senado teria realizado medidas de contra inteligência nos gabinetes e residências dos senadores

A suspeita é de que policiais legislativos faziam varreduras nas casas dos políticos para, por exemplo, identificar e eliminar escutas instaladas com autorização judicial.
De acordo com o portal G1, a operação se baseou no depoimento de um policial legislativo. Ele relatou à Procuradoria Geral da República que o chefe da polícia do Senado teria realizado medidas de contrainteligência nos gabinetes e residências dos senadores Fernando Collor de Mello (PTC-AL), Edison Lobão (PMDB-MA) e do ex-senador José Sarney.
O advogado do senador Edison Lobão e do ex-presidente José Sarney, Antonio Carlos de Almeida Castro, o Kakay, negou que seus clientes tenham cometido alguma irregularidade. A declaração foi feita nesta sexta-feira, 21, logo após a Polícia Federal cumprir diligências no Senado na Operação Métis.
"O presidente Sarney ficou completamente atônito, disse que não usa os serviços do Senado desde que saiu do Senado e não fez nenhum pedido de varredura. Ele tem uma estrutura de ex-presidente da República. O presidente Sarney não usou, não fez pedido absolutamente nenhum e não foi feita varredura", disse Kakay.
A respeito de Lobão, o advogado disse que o senador peemedebista fez pedido justificável neste sentido - da polícia legislativa fazer varredura em sua casa, após os grampos feitos pelo ex-diretor da Transpetro Sérgio Machado.
"O senador Lobão desde 2007, esporadicamente faz na tentativa de encontrar grampos ilegais. O mais importante é que não foi encontrado. Se não foi encontrado, não tem como se falar em obstrução. Se fosse encontrado, teria de ter uma formalização. Ele pediu para efeitos de grampo ilegal e eu acho que é natural. Você tem um cidadão do naipe, do porte de Sergio Machado que grampeia o presidente do Senado e um ex-presidente da República, é natural que você queira saber se tem grampo ilegal", destacou o advogado.


Roseana Sarney anda irritada com projeto de João Alberto ser Governador

 Completamente irritada com o descaso que Filuca deixou a cidade de Pinheiro

É azedo o clima na relação entre o senador João Alberto e a ex-governadora Roseana Sarney.
Nesta semana, numa pequena reunião em sua residência, instada sobre a peleja judicial de João Alberto para seu pupilo Roberto Costa assumir a prefeitura de Bacabal, Roseana externou todo o seu desprezo para com a dupla.
Durante a campanha eleitoral deste ano, em diversos momentos, João Alberto aproveitou os palanques para pontuar seu sonho de ser candidato a governador do Estado. Vem daí o combustível para a irritação de Roseana.

Na verdade, o plano foi urdido em duas fases. A primeira, conquistar a prefeitura de uma cidade polo como Bacabal para depois construir um ambiente favorável à sua indicação como candidato a governador. Faltou combinar com Roseana e com o povo, que deu a maioria dos votos para Zé Vieira em Bacabal deixando Roberto Costa na segunda colocação. Para completar a grosseria da ex-governadora ela perdeu o apoio da cidade de pinheiro, o seu aliado Filuca Mendes perdeu para o grupo dos Genesio. 

Eduardo Cunha: 'Eu quero falar, eu vou falar'

O deputado cassado Eduardo Cunha já afirmou a seus advogados que está disposto a colaborar com a Operação Lava Jato. "Eu quero falar, eu vou falar", disse o peemedebista, conforme fontes próximas. Para fechar um acordo de delação premiada, o Ministério Público Federal não abre mão de um ponto: Cunha deverá passar pelo menos três anos atrás das grades, em regime fechado, informou a reportagem do Valor.
Como lembrou o portal 247, no caso de não colaboração, o juiz Sergio Moro pode condenar Cunha a mais de 20 anos de prisão. O conteúdo bombástico de uma possível delação de Cunha já assusta o Planalto.
Desde que foi encarcerado na custódia da Polícia Federal (PF) em Curitiba, na quarta-feira (19), Cunha teve conversas longas e tensas com integrantes de sua equipe de advogados. Em um dos diálogos, um dos defensores deixou clara a situação do ex-deputado.
Desde que foi preso, Cunha teve rompantes de raiva durante as conversas com os advogados. Ele disse repetidas vezes que quer entregar o que sabe sobre supostos ilícitos que envolveriam Moreira Franco, secretário executivo do Programa de Parcerias de Investimentos e figura importante do governo do presidente Michel Temer. Moreira Franco tem negado qualquer envolvimento em irregularidades."


Políticos maranhenses ligados a Cunha preocupados com possível delação do ex-deputado

Uma renca de políticos maranhenses, sobretudo, próximos à família Sarney estão tensos após a prisão do ex-presidente da Câmara dos Deputados, Eduardo Cunha (PMDB).
Deputados federais e líderes políticos fora de mandato têm demonstrado forte incômodo com a possível deleção do ex-deputado.
A ex-governador Roseana Sarney, por exemplo, foi questionada por jornalistas sobre a prisão do colega de partido, mas preferiu não comentar o episódio.
Em conversas com deputados aliados nos últimos dias, o deputado cassado Eduardo Cunha estava pessimista. Em mais de uma vez, disse que seria preso rapidamente – o que se concretizou nesta quarta-feira (19) – demonstrou preocupação sobre como ficaria sua família.
Numa conversa com um integrante de sua “tropa de choque”, Cunha foi questionado se faria delação premiada. Ele respondeu de maneira econômica: “Prefiro morrer a fazer uma delação”.
Mesmo assim, o interlocutor ficou na dúvida se Cunha aguentará manter essa promessa após meses de prisão.
Até mesmo os aliados mais próximos avaliam que, se houver um aval da Procuradoria Geral da República, Cunha faria uma delação para livrar a família. Mas esses mesmos aliados reconhecem que haverá resistência tanto do procurador-geral da República, Rodrigo Janot, quanto de investigadores da Operação Lava Jato.
A prisão de Eduardo Cunha é considerada por procuradores uma espécie de símbolo do combate à corrupção. Por isso, procuradores resistem a fazer um acordo de delação com Cunha se ele não tiver a oferecer fatos que agreguem informações novas à investigação.
Ao avanço da Lava Jato, que não tem data para terminar, correspondia o aumento de tensão dentro do Congresso e do governo, e também fora deles.
A prisão de Cunha leva o clima de tensão ao paroxismo.
Ele não é apenas mais um político de peso a cair nas garras do juiz Sérgio Moro. Ele é “o político”, a levar-se em conta tudo o que sabe e tudo o que pode delatar.
Nada, por ora, se compara à captura de Cunha.
Uma eventual delação de Cunha poderá atingir gravemente o governo Temer. E isso, sim, teria potencial para embaralhar o presente e comprometer o futuro.
Cunha conhece os mais recônditos segredos do PMDB, que vão de Temer, passam pela família Sarney e chegam até Renan Calheiro – presidente do Senado.
Se Eduardo vai falar até agora não se pode ter exatidão, mas que a dúvida deixa boa parte do mundo político em polvorosa, isso sem dúvida…